Perguntas Frequentes

Chiado nos freios.

Quando o chiado é leve, pode ser causado pelo tipo de material usado na fabricação das pastilhas de freio, que ao entrar em contato com o disco produz o barulho. Se o barulho ao frear for semelhante ao de um atrito entre metais, no entanto, é provável que as pastilhas estejam gastas. Neste caso, você deve substituí-las imediatamente, para que não haja perigo de acidente.

A melhor hora para abastecer seu carro.

O resfriamento do solo durante a noite faz com que o tanque perca temperatura e aconteça o suor pelas paredes do reservatório, revelando maior concentração de umidade na parte da manhã. Com certeza não é o melhor momento para o abastecimento. Procure sempre abastecer no final do dia, pois a elevação da temperatura aliada ao aquecimento do solo, facilita a evaporação da água.

Alternador chiando?

Quando o alternador está sendo muito exigido no recarregamento da bateria, acaba ficando mais pesado para girar. Aí basta que a correia esteja um pouco frouxa para que ocorra uma grande chiadeira, da correia patinando. Isso pode ser notado, por exemplo, ao se dar a partida no motor, ou após acionar muitos componentes elétricos ao mesmo tempo, como faróis, limpadores e ventilador.

Basta a cada dois meses ajustar a folga da correia para se livrar deste incômodo.

Bicos injetores.

Os bicos injetores estão alojados no cabeçote do motor e são fundamentais para concluir o processo de alimentação. Sua construção é precisa e rigorosamente calibrada, para que aconteça a inflamação correta do combustível dentro da câmara.

Têm sua abertura calibrada com pressões que variam em torno de 200 bar, dependendo do projeto do motor. Sua manutenção, assim como a bomba injetora, só pode ser feita por empresas credenciadas ou postos autorizados.

Bomba injetora rotativa.

Como o nome já diz, seu movimento de bombeamento é rotativo, quer dizer, não é acionada por cames de um comando como nas bombas em linha que equipam grandes e pequenos motores de baixa rotação. Essa característica é importante, pois os motores diesel tiveram grandes evoluções e a medida que houve um aumento da tecnologia aplicada na sua construção, os giros do motor subiram e praticamente igualaram-se às rotações dos motores a gasolina. Junto com essa evolução as bombas rotativas acenaram com melhor apelo tecnológico, mostrando eficiência e economia, sem falar no tamanho, consideravelmente menor que as bombas em linha, facilitando a aplicação de motores maiores em pequenos utilitários. Sua lubrificação é feita pelo próprio combustível, que a torna um tanto vulnerável, pois a água contida em mistura ao óleo pode comprometer sua durabilidade. Talvez seja esse o grande benefício da bomba em linha, que tem sua lubrificação executada pelo mesmo óleo do motor, garantindo sua confiabilidade.

Bomba injetora: Pressão elevada.

Na saída da bomba injetora (Tipo VE da Bosh) existe um parafuso banjo com um furo calibrado por onde passa o óleo para o retorno. Se ele estiver obstruído, a pressão interna da bomba se eleva e impede o avanço da injeção, inviabilizando seu bom funcionamento. O motor apresentará deficiência na queima, com liberação de excesso de fumaça, além de não obedecer aos comandos do acelerador.

Site desenvolvido por Codde.